Missão

Num lugar encantador e cheio de mistério, o essencial é garantir um dia de sonho, criando diversas pequenas histórias, onde a cada dia as personagens se alteram, mas os bons momentos não, fazendo com que se possa recordar todos os dias esses acontecimentos. Este é o principal objectivo da Quinta do Pé da Serra.

As vivências são boas demais para não serem recordadas.

História

A Quinta do Pé da Serra foi adquirida por um antepassado, dos atuais proprietários, no dia 3 de Agosto de 1799. Em 31 de Agosto 1856, Margarida Helena de Almeida Costa, herdeira da propriedade, casa com o Conselheiro Francisco Joaquim da Costa e Silva (filho do 1.º visconde de Ovar). Com propriedades na região, circundantes à Quinta, desenvolvem a produção e negócio de vinho, criando uma marca própria (F.C. – Francisco Costa), tendo este prosperado e evoluindo, atingindo a exportação para o Brasil. Em meados do séc. XIX surgiu na Europa uma doença, causada por um inseto, a Filoxera, vindo do Continente Americano, que dizimou grande parte das vinhas da Europa (concretamente em França), e a partir de 1865 o vinhedo nacional. Este insecto atacava as raízes da vinha, provocando murchidão, originando um grande prejuízo aos silvicultores. Este facto, paradoxalmente, determinará o florescimento do vinho da região de Colares. As vinhas de Colares não foram afetadas por esta doença, derivado à característica específica de serem plantadas em terrenos arenosos, e a grande profundidade, o que lhes permitia ficarem a salvo do ataque da filoxera. Sendo o vinho F.C. um “Collares”, elaborado à base da casta Ramisco, torna-se num vinho da região, como todos os outros, imune à doença, com significativa procura. Manuel de Almeida Costa e Silva virá, a seguir, herdar a Quinta do Pé da Serra e parte das vinhas. Apostado na continuação da actividade vinícola, irá associar-se e constituir a firma “Manoel Costa e Companhia, Limitada”, em 12 de Novembro de 1925. Passa a convidar potenciais compradores, disponibilizando a casa Mãe com os seus quartos, nos quais manda colocar lavatórios (alguns ainda existentes), de forma que pudessem pernoitar, após conhecer as adegas, provar os seus vinhos e adquiri-los. A actividade cessaria anos mais tarde e, assim, se manteve a Quinta do Pé da Serra, durante muitos anos como um espaço de lazer para a família e de pequena produção agrícola. A necessidade da sua preservação virá a conduzir, a uma nova etapa. Assim, em 1980 realizou o seu primeiro evento público e iniciou a actividade mais relevante, a que ainda hoje se dedica - organização de Festas de Casamento e Eventos Empresarias. Um sítio surpreendente para viver o seu momento.

E-mail: info@quintadopedaserra.com